Entrevista com Amaia Guerrero


Amaia Guerrero é uma consultora da Specialisterne. Em 2 de abril (Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo) de 2015, Amaia se preparou para uma entrevista para um meio de comunicação e quis compartilhá-la aqui integralmente.


 

Meu nome é Amaia, nasci em Vitória há 29 anos e há 5 anos descobri que tenho características do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

1) Como você conheceu Specialisterne?

Conheci graças a um dia (em novembro de 2013), quando minha mãe me falou. Ela, por sua vez, ficou sabendo da sua existência através da Internet.

2) O que você aprendeu na formação da Specialisterne?

Primeiro, com o Lego Mindstorms, aprendi programação de maneira simples e intuitiva e, além disso, aprendi perseverança e paciência (nem sempre as coisas saem como se espera inicialmente, é necessário continuar tentando pacientemente até conseguirmos).
Depois, reaprendi as funções dos programas de informática. Na sequência, aprendi como administrar o tempo com o método Scrum. Mais tarde aprendi os conceitos de teste de software e tudo relacionado a isso (que é mais do que eu pensava).

3) Em que consiste o seu trabalho? Que tarefas você realiza?

Pelas manhãs, reviso servidores. Faço uma série de testes/transações em cada um deles e observo se tudo sai bem; se há erros, e elaboro um relatório que depois será enviado ao cliente por e-mail.
No resto da jornada, faço tarefas que me mandam. Modificar os manuais de como revisar os servidores, introduzir erros encontrados nos servidores em um controle, praticar com o WordPress, etc.

4) Há quanto tempo você trabalha na Specialisterne? Como está sendo a sua experiência?

Estou trabalhando desde novembro, ou seja, há quase cinco meses. A experiência é positiva; há um bom ambiente no escritório, minhas necessidades são levadas em consideração (se necessito de mais descansos, posso falar com a minha tutora), me dão responsabilidades que posso assumir bem, temas de comunicação (por exemplo, adquiri confiança para conversar com o cliente para o qual trabalho).

5) Em que consiste a figura do tutor?

É minha pessoa de referência, de confiança, a quem comunico meus problemas e dúvidas relacionados com o tema sócio-laboral e me ajuda a solucioná-los.

6) As pessoas com TEA têm grande capacidade de concentração, são muito detalhistas… Como você aplica isso no trabalho?

Concentro-me bem nas tarefas, sou perfeccionista. Por exemplo, quando monitoro os servidores, sempre observo se introduzi bem os dados em uma transação de revisão, se copiei bem os dados no relatório, e também comprovo se a informação do relatório está correta antes de enviá-lo.

7) O que você acredita que agrega como consultora em comparação com outro trabalhador?

Cooperação, porque na revisão dos servidores trabalhamos em equipe de três pessoas, entre as quais estou eu (ao menos aqui na Specialisterne). Ensino meus colegas a aprenderem com os meus esclarecimentos sobre como reportar erros, e também resolvo dúvidas que meus colegas tenham sobre os servidores.

8) Quais coisas que você aprendeu graças ao trabalho na Specialisterne?

Aprendi a ser otimista e a driblar as adversidades (por exemplo, muito sono) reconduzindo os pensamentos para algo positivo (gosto do meu trabalho). Aprendi comportamentos próprios do entorno profissional, como a postura e a linguagem.

Casos reais

Somos avaliados em satisfação pelos nossos clientes com um valor de 4,4 em uma escala de 1 a 5. Leia casos como os da IHFood, GlobalConnect e TDC para conhecer os serviços de TI que proporcionamos.

Clique aqui para ver os nossos casos.

Clique aqui para ver o caso da SAP.

Fale Conosco

A nossa prioridade é divulgar o valor da Specialisterne e o nosso objetivo de contribuir para a criação de um milhão de postos de trabalho para pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo e desafios similares. Siga-nos no Facebook, LinkedIn ou Twitter.